"Um caminho que se percorre não com pernas, mas com coração. E onde o único desafio que vale, é percorrê-lo por inteiro."


segunda-feira, 25 de agosto de 2008

A busca...

Agora, me responde! Porque diabos a gente nunca tá feliz?
E tem mais! Responde! Porque mesmo assim sempre queremos parecer que estamos felizes?
Sempre tem algo que incomoda, e até nos dias mais felizes, que você está de bem com o mundo, tem uma coisinha lá. Pequena e insignificante. Mais que fica lá te encarando. Te incomodando e fazendo uma feia manchinha chata no seu mundo cor de rosa.
Poxa... Nós, humanos, temos nossos objetivos e sonhos na vida. Coisas que queremos muito alcançar e lutamos para isso. Mas nunca é o bastante.
O tempo para você alcançar um objetivo é o tempo pra esse objetivo não ser mais tão importante pra você, e aí você já quer outro objetivo que está tão longe quanto o primeiro estava há algum tempo atrás.
Nós... Seres humanos somos a espécie mais chata do planeta. E isso tem um motivo! A nossa bendita consciência! Somos infelizmente (ou não) dotados dela.
Todos os outros animais não tem que se preocupar em ser felizes, afinal, eles podem simplesmente ser! (http://www.youtube.com/watch?v=DRJqrLd7MrE)
Enquanto nós humanos nos frustramos na eterna busca pela felicidade.
Talvez seja apenas isso... Uma busca. Uma eterna busca.
No geral são todos muito egoístas. As pessoas estão tão acostumadas a serem sozinhas e a lutarem sozinhas, que não se dão contam de que do seu lado, tem alguém que luta da mesma forma que você. E lutar junto, é melhor que lutar sozinho.
Mas lutar é uma coisa...
E quando alguém não sabe exatamente pelo que deve lutar? O que há de fazer?
E quando luta, luta, luta... Alcança! E quando chega lá se dá conta de que não é isso, e quer lutar por outra coisa... Tão distante.
Os sonhos são mutáveis. E essa deve ser a brincadeira que a vida mais gosta. Brincar com os nossos quereres... Ela nos prega peças!
Futuro... Próximo e detestável futuro.
Talvez o melhor relacionamento com ele seja simplesmente... Ignorá-lo. Mas não é tão simples assim. Afinal, não somos máquinas ou robozinhos em que escolhemos, apertamos um botão e está feito! São pensamentos, medos e sentimentos angustiantes que do nada resolvem aparecer para atormentar.
É claro que sabemos a resposta. Viver o presente ao máximo!
Mas nem isso é tão fácil assim...