"Um caminho que se percorre não com pernas, mas com coração. E onde o único desafio que vale, é percorrê-lo por inteiro."


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Desperta, puta merda, compre livros e não namorados, frio de aqui.

Eram quatro horas da manhã quando a insônia foi embora.
Dormir.

Despertador.
7 horas.
Soneca.
8... 9... 10..
Soneca. Soneca e soneca.

11.
Meio dia.

Frio.
Correria. 
Papelada, internet e covardia.

Lei de Murphy.
Nervoso e puta que pariu.

Trem.
Metrô. 
Ônibus.

Fila, fila e fila.

Pronto. E agora?

Sem vontade de voltar pra casa.

Fome.
Jantar.
À italiana.

Av. Paulista.

Livraria.

Livros.
Livros.
Livros.

Pequeno livro esquecido ao fundo da estante.
"Para cima e não para o norte."
Aquisição.

(As vezes procurar pelo livro certo no momento certo vale mais a pena do que procurar um namorado. 
Ele pode te dar mais prazer e menos sofrimento. Mesmo.)

Rua. 
Frio.
Augusta.

Café.

Quente.
Quente. 
Quente.

Outra livraria.

Mais livros.
Mais livros.
Mais livros.

Uma quase aquisição.
Desistência.

(Assim como namorados, não se pode forçar a relação com os livros. 
Quando não é pra ser, não é.)

Rua.
Chuva.
Metrô.

Casa.
Notebook.

Conversa de amiga.

Blog.
Postagem.

Aqui.

E agora.



Um comentário:

Camila Canterle Jornada disse...

Essa poesia entrou no destino da minha vida - hoje. Blog que apareceu em minhas mãos e sigo agora. Convido para seguir meu blog. Grande abraço!